Passar para o Conteúdo Principal

brasao cm chaves

pesquisar
 

Projeto da Universidade do Porto apresenta em Chaves resultado de estudo sobre jovens a viver em regiões de fronteira

Dsc 8341 1 1024 2500
07 Junho 2019

A cidade de Chaves acolheu, ontem, no Museu de Arte Contemporânea Nadir Afonso, o primeiro Encontro de Fronteira direcionado para os jovens e seus percursos educativos, numa iniciativa organizada pela Universidade do Porto, em colaboração com o município flaviense.

Foi o momento para apresentação dos resultados decorrentes do tratamento, análise e interpretação de dados inerentes ao Projeto GROW.UP, sobre jovens a crescer em regiões de fronteira, desenvolvido pelo Centro de Investigação e de Intervenção Educativas da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da U.Porto.

A sessão de abertura, presidida pelo Presidente da Câmara, Nuno Vaz, contou com a presença de Sofia Marques da Silva, Investigadora do Projeto, e Vítor Dias, do Instituto Português do Desporto e Juventude.

Durante um ano o projeto percorreu 38 regiões de fronteira, do Minho ao Algarve, onde se pôde analisar o peso da interioridade, mas também os esforços em ação e contextos de possibilidade. Participaram neste estudo cerca de 4000 jovens e aproximadamente 70 diretores de agrupamentos e responsáveis de câmaras municipais, pela definição de políticas de juventude.

Para o autarca flaviense “este projeto tem a particularidade de ter os jovens a pronunciar-se e refletir sobre o que entendem ser mais relevante no futuro”. Dentro de um universo de estudo tão significativo, os resultados apresentados podem ajudar a influenciar, à escala, algumas políticas relacionadas com os anseios e necessidades dos jovens. Nuno Vaz afirmou ainda que “é importante perceber as possibilidades, interesses, aspirações e desejos de futuro para se poder construir soluções que possam mitigar e ajudar a reverter injustiças e barreiras de acesso a muitos direitos, sejam de índole social, educacional ou cultural”.

Este encontro constituiu-se como uma oportunidade de diálogo entre a equipa de investigação, as pessoas e organizações que contribuíram para o desenvolvimento do projeto no terreno, nomeadamente escolas e municípios. Estão agendados mais dois encontros ao longo deste ano, que se realizarão no centro e sul do país.

image title
image title
image title
image title