Passar para o Conteúdo Principal

logotipo

pesquisar
 

Sopas e Caldos

Sopa de Couve de Penca de Chaves

Numa panela deita-se bastante água a ferver temperada de sal. Depois de atingida a fervura, deita-se meio kg de batatas cortadas aos quartos, a couve penca cortada ao meio, uma cebola cortada às rodelas grossas e quatro colheres de sopa de unto. Pode-se juntar um osso de presunto ou um pouco de entrecosto salgado. Rectifique-se os temperos segundo as carnes que deitar na sopa. Numa terrina deita-se fatias de pão de trigo ou de centeio e verta a sopa por cima.

Há quem substitua o osso do presunto por um chouriço de carne e há quem deite feijão - branco que substitui as fatias de pão.

Escrito em Cozinha Transmontana – Alfredo Saramago.
Sopas ou Caldo de Unto

Desfaz-se, no pote de ferro ou numa caçarola, uma parte da barriga do porco com o coiro e quando estiver desfeita, acrescente com água que achar necessária, dois ou três dentes de alho esmagados e sal do grosso. Há quem lhe junte batatas e cebola às rodelas ou um punhado de arroz que se deverá deixar cozer. Das duas maneiras é saboroso. Numa tigela, cortam-se bocados de pão centeio, em fatias finas, e regam-se com o caldo anterior; se necessário rega-se com azeite em cru.

Receita cedida por Maria Olímpia Batista (in Tradições Gastronómicas Alto Tâmega e Barroso)
Caldo de Feijão Vermelho

Numa panela alta coloca-se água, um naco de presunto e algumas batatas descascadas, para fazer um bom puré. Quando estas estiverem cozidas, amassam-se com a ajuda de uma escumadeira e um garfo. Juntam-se uns dez punhados de feijão vermelho, demolhados do dia anterior – “quer o presunto, quer o feijão” –, já cozido e a água da sua cozedura, parte-se uma cebola às rodelas e uma cenoura aos quadradinhos. No caso de querer engrossar mais o caldo, junta-se um punhado de massa miúda. Verifica-se o sal, pois a água do presunto pode ser o suficiente para lhe dar sabor. Lava-se muito bem a couve troncha – “deverá ter passado por ela uma geada para a tornar tenra”. Parte-se grosseiramente e coloca-se no caldo para cozer. Rega-se com um fio de azeite e deixa-se ferver. É servida nas malgas, mas tem a particularidade de ser mais saborosa no dia seguinte!

Receita cedida por Maria Olímpia Batista (in Tradições Gastronómicas Alto Tâmega e Barroso)